0

Eu até que fiz bastante coisa

Eu até que fiz bastante coisa nos últimos tempos. Fiz mais coisas que eu achava que faria em 6 meses. Não relatei nenhuma delas aqui.
Eu bem que disse há um tempo atrás: eu sumo de vez em sempre. Sumo sem dar satisfação para ninguém. E nesses últimos meses estive sumida daqui, vivendo umas experiências loucas que a vida me deu.
Nem sempre é fácil manter um blog como o que eu quero. Minha ideia inicial nunca foi ter um daqueles espaços cheios de seguidores, que dão dicas sobre como decorar seu quarto, como fazer uma make pra festa…. Esses tipos que vemos todos os dias de todos os jeitos possíveis.
Eu sempre quis outra coisa. Gosto de escrever, e o meu blog é pra isso: um espaço onde eu escrevo sobre um monte de besteiras e quase ninguém (ou ninguém mesmo) lê. É como um diário online. Terão dias que escreverei sobre como certas coisas na sociedade me irritam, outras sobre meu  amor da adolescência.
O que eu quero dizer é que não é um blog dessa nova geração da internet. É antiquado mesmo. Às vezes só vou colocar palavras aqui. Nenhum conteúdo super cool. São só as minhas palavras, que por vezes podem vir acompanhadas de músicas estranhas ou fotos feias que eu mesma tirei ou peguei no google.
Faz 6 meses que deixei de escrever aqui e esse fato não me alegra nem um pouco. Quero tentar manter um ritmo, pelo menos esse ano. Então não vou me importar se vou escrever sobre algo que aconteceu ontem ou no ano passado. Vou apenas colocar palavras. Não espero mesmo ter grande público.
Você sabe, isso aqui é sobre meu amor por colocar palavras pra fora, não sobre ganhar fama e admiradores.

Anúncios
2

Blog novo… De novo.

Ano novo, vida nova, blog novo e vontade velha. Pois é, assim mesmo. Faz anos que tento ter um blog. Desde os 12, quando descobri esse universo fantástico de gente legal escrevendo sobre suas próprias vidas e sobre coisas interessantes. Hoje tenho 16 e estou aqui com o meu mais novo projeto. É preciso ficar bem claro que esse não é o primeiro que crio: já perdi a conta das vezes em que procurei um hospedeiro no google e coloquei meu sonho em prática. Ou pelo menos parte dele.

O fato mesmo é que eu nunca consigo dar continuidade: eu arrumo um nome legal, deixo minha página com uma cara bem fofa, mas na hora do primeiro post eu gelo. Bloqueio criativo. Falta do que falar. Ou qualquer outra maneira de descrever. Eu simplesmente não consigo passar de algumas linhas.

Há outro fato que me incomoda quanto ao meu blog: sobre que merda eu vou falar? Minha vida é totalmente desinteressante; eu não tenho uma câmera para fazer fotografias bacanas; eu não ando na moda e muito menos sei fazer tutorial de decoração.

“A bagunça da minha cabeça é gigante e ela não me deixou ter um blog.”, pronto. Uma boa desculpa para dar aos meus filhos caso eles perguntem sobre. Sem falar que é um bom motivo para matar o meu sonho de ser uma blogueira anônima como nos filmes.

É triste mas é verdade: eu não sei organizar meus pensamentos e ser criativa quando tenho que ser. A prova são os meus tantos blogs abandonados. Daqui a alguns dias esse entra para a lista.

Essa sou eu. Esse é o meu post sobre blogs. E esse é meu blog sobre nada.